Almanaque Brasil


24/11

Oitavo pecado capital: consumismo

Quem nunca se arrependeu de comprar aque­le aparelho de gi­nás­ti­ca sensacional, mos­tra­do na tv, que durante duas se­ma­nas en­tu­si­as­ma e depois não serve nem para ca­bi­de? Ou de Leia Mais

Lei “humanitária” determinava as condições dos navios negreiros

Um dos símbolos mais perversos da escravidão, os navios negreiros eram um transporte de alto risco para a vida dos escravos – o que não interessava a ninguém. Leia Mais

Nosso Pelé da física quase ganha Nobel duas vezes

Se o Brasil tivesse um panteão das ciências, nele estaria o curitibano César Lattes. Nascido em 1924, só é batizado na adolescência. Judeu, o pai teme a perseguição Leia Mais

“O Sertão está dentro da gente”

O sertão é do tamanho do mundo. Para o escritor João Guimarães Rosa, sim, no sertão estão as agonias e as alegrias humanas. Espaço cativo de metáforas, mitos, personagens, Leia Mais

Candinho cantou marchinha antes de ser gravada

Ó Jardineira/ Por que estás tão triste?/ Mas o que foi que te aconteceu?/ Foi a Camélia que caiu do galho/ Deu dois suspiros e depois… Quem não Leia Mais

Cruz e Sousa, o Poeta Negro

O maior poeta simbolista brasileiro era filho de escravos. João da Cruz e Sousa, o Poeta Negro, nas­ceu a 24 de novembro de 1861 em Desterro, atual Flo­ri­a­nó­po­lis Leia Mais

Andreato